domingo, 17 de dezembro de 2017

O dia em que "participei" de um programa de TV

Depois que virei adulta, não me imaginava participando de programas de TV. A verdade é que hoje mal assisto TV aberta, acontece de ver uma coisa ou outra quando passo pela cozinha e meus pais estão assistindo a um programa de domingo ou jornais. Quando era criança, me imaginava participando daqueles programas do Silvio Santos, e nunca me imaginei vivenciando a situação que vivi.


No dia do ocorrido, eu estava de micro shorts e uma blusinha rosa. Fui ate a casa de ração e comprei varias sementes para fazer uma horta. Cheguei em casa e comecei a serrar um cano para fazer a horta dentro dele. Estava um calor infernal, suei muito com o esforço pra serrar o bendito cano (não tenho experiencia alguma nisso). Serrei, coloquei terra, plantei, pendurei.
Decidi sentar um pouco no sofá para esperar a temperatura do corpo baixar e entrar no banho. Meu pai estava assistindo filmes no netflix, foi quando a campainha tocou. Ele atendeu e disse:  "Tem uma equipe de repórteres aqui pra você". Achei que era brincadeira dele e fui olhar... A rua já estava cheia de gente, aquela equipe segurando câmeras, acho que refletores (não sei o nome dos equipamentos), o repórter me chamando, pedindo pra ir conversar com ele.



Eu, que odeio exposição, que odeio que as pessoas perguntem sobre minha vida, que sou discreta ao máximo, que estava toda suada por ter trabalhado na minha mini horta, que estava com uma roupa super curta e totalmente desconfortável com a situação, congelei e fiquei sem reação. Pensei em nao sair, mas desci e ja disse que nao queria aparecer. A equipe foi tao educada que fiquei sem graca de nao descer. Desci mais um lance de escadas. Desci tao puta da vida, quem teria enviado uma equipe para minha casa e com qual proposito? Nos segundos seguintes me dei conta de que havia sido meu ex namorado, querendo reatar. Eu, que odeio ficar na porta fofocando sobre a vida alheia, havia virado alvo da fofoca.


Conversei com a equipe e relatei minha falta de interesse em reatar com ele, o repórter pediu que eu conversasse com eles e no final dissesse que não aceitava reatar o relacionamento. Uma contradição de sentimentos apareceu. Eu não queria aparecer, mas não queria fazer uma desfeita com a equipe, minha cabeça a mil. Cedi e gravei. Perguntaram se eu iria ate o palco do programa, no momento respondi que sim, mas não tinha muita vontade de ir.
No final, voltamos a minha casa e a produtora pediu que eu emprestasse 3 objetos do nosso relacionamento. Emprestei o par de alianças de noivado, que nunca foram usadas; um ursinho e uma caixa de madeira personalizada. Enquanto estavamos selecionando o que seria levado, relatei a ela que nao queria ir, e ela começou com aquele papo das "vantagens" de ir... internamente, eu ri muito. Como alguem pode achar vantagem, conhecer um apresentador e ganhar um lanche, em troca de expor sua vida?

Eu que precisava estudar para os meus exames finais da faculdade, nao conseguia pensar em outra coisa alem desse MICO. Sinceramente, teria sido legal se houvesse um sentimento de ambas as partes, mas nao havia, e eu ja havia deixado isso explicito ao meu ex por pelo menos umas 5 vezes.
No outro dia decidi ir viajar. Era o dia que seriam feitas as gravações no palco. Nao me submeteria a isso. Uma das regras do programa, é que nao deveriamos manter contato ate a hora do palco. Cumpri minha parte, nao falei com ele. Não o amo mas tambem nao queria que ele fosse humilhado em rede nacional, minha familia tambem pensava da mesma forma. Outras pessoas foram aconselhar que ele nao se humilhasse na tv, pois sabiam que eu nao iria reatar. Ele desistiu de gravar. Eu agradeci a Deus, agradeci mesmo.

Ate hoje, nao recebi de volta os itens que emprestei. Eu gostaria de devolver as alianças para ele, sao novas, talvez ele pudesse vende-las e usar o dinheiro no negocio dele.

Me pergunto como cedi a participar de algo que eu nem assisto, que nao faz parte da minha rotina. Talvez tenha sido tomada pela forte emoção do momento.

Hoje dou risada, meus amigos me zoam, meus pais querem que eu me mude, estão assustados. 

So para deixar claro, nada contra esses programas, mas meu estilo de vida nao condiz com essas coisas. A carreira que escolhi seguir, exige certa privacidade, exige discrição. Acho que isso foi uma puta lição pra mim tambem.

Deixo meu desabafo sobre este fatidico dia, rs!

terça-feira, 3 de outubro de 2017

São Judas X FMU

Olá!
Bem, eu ando conversando com algumas pessoas sobre a Universidade São Judas. Sou super fã de lá (pelo menos, até esse momento) e só tenho coisas boas a falar. Mas honestidade a prova, tem algumas coisas que a minha antiga faculdade ainda fica na liderança. Então, se você está em duvida entre alguma delas, aqui vai meu ponto de vista:




No geral, eu amo a São Judas. Estou bem feliz lá e super recomendo. Voces encontrarão problemas em TODA universidade ou faculdade (curso, palestra, etc) que forem fazer, o que voces tem que pesar é a qualidade de ensino, nome da instituição, e se vale a pena ou nao passar por "X" transtornos.
Qualquer duvida, manda um inbox no TT ou msg aqui ;)










domingo, 3 de setembro de 2017

Try again

Hoje bateu uma bad.
Decidi correr mas só depois de limpar e colocar no lugar, lembrei que uma peça da esteira estava quebrada 😂
Faz parte.

Então vou colocar em prática, NOVAMENTE, o estudo do inglês.
Sim, com o tempo esquecemos muitas palavras. Necessito treinar e parar de procrastinar.

sábado, 29 de julho de 2017

Viver


Um jovem advogado foi indicado para inventariar os pertences de um senhor recém falecido. Segundo o relatório do seguro social, o idoso não tinha herdeiros ou parentes vivos. Suas posses eram muito simples. O apartamento alugado, uma moto velha, móveis baratos e roupas puídas. “Como alguém passa toda a vida e termina só com isso?”, pensou o advogado. Anotou todos os dados e ia deixando a residência quando notou um porta-retratos sobre um criado mudo.
Na foto estava o velho morto. Ainda era jovem, sorridente, ao fundo um mar muito verde e uma praia repleta de coqueiros. À caneta escrito bem de leve no canto superior da imagem lia-se “sul da Tailândia”. Surpreso, o advogado abriu a gaveta do criado e encontrou um álbum repleto de fotografias. Lá estava o senhor, em diversos momentos da vida, em fotos em todo canto do mundo.
Em um tango na Argentina, na frente do Muro de Berlim, em um tuk tuk no Vietnã, sobre um camelo com as pirâmides ao fundo, tomando vinho em frente ao Coliseu, entre muitas outras. Na última página do álbum um mapa, quase todos os países do planeta marcados com um asterisco vermelho, indicando por onde o velho tinha passado. Escrito à mão no meio do Oceano Pacífico uma pequena poesia:

Não construí nada que me possam roubar.
Não há nada que eu possa perder.
Nada que eu possa trocar,
Nada que se possa vender.
Eu que decidi viajar,
Eu que escolhi conhecer,
Nada tenho a deixar
Porque aprendi a viver..

Bloggar também é terapia.


As vezes gosto de Escrever, me faz relaxar.

Me formei na Etec, agora sou técnica em serviços jurídicos. Esse curso me deu uma boa base para a faculdade de Direito. Já estou no 2 semestre da faculdade :)
E alias, me transferi, sai da FMU pois não estava satisfeita com a qualidade do ensino.

Um dos focos nesse 2 semestre de 2017 será também aperfeiçoar o inglês. Ainda tenho dentro de mim aquela vontade de morar fora novamente, mesmo que a curto prazo. Fazer um curso de especialização ou pós em outro pais.

Muitas vezes me pego pensando em coisas que gostaria de ter feito enquanto morei nos EUA e nao fiz por conta da minha timidez. Lugares que gostaria de ter conhecido, passeios que desejei ter feito e acabaram ficando pra depois... Mas, continuo com o pensamento que antes de explorar cidades la fora, devo explorar minha própria cidade. Fiz uma lista com 40 museus que devo conhecer aqui em São Paulo, fora outras localidades como parques, restaurantes e etc.
Se sinto falta de fazer essas atividades que fazia nos Eua, talvez devesse retornar a realiza-las por aqui, certo? Sei que fiz listas e listas de lugares para conhecer e nao as realizei, mas me comprometi a colocar essa em pratica. Coloquei uma meta que só poderei pensar em fazer intercambio novamente, quando conseguir realizar o que venho me prometendo há tempos aqui no Brasil e nao cumpri.

Depois postarei a lista com os museus, essa será a primeira que realizarei.

sábado, 15 de abril de 2017

Olá Terráqueos :)

Como de costume, uma vez ao ano dou as caras por aqui, confesso que ja passei algumas vezes por estas bandas este ano porem não me senti inspirada a escrever.

Alem de estar quase finalizando o técnico em Serviços Jurídicos, iniciei a graduação em Direito. Tem me feito bem mudar a perspectiva de vida. Estava estagnada e precisava de um plano B.

A faculdade não é fácil e ainda com outro curso nas costas fica bem cansativo mas nada é impossível. Honestamente, a ETEC tem exigido mais de mim, porque alem das materias esta acabando com o meu emocional. A grade curricular é otima, a maioria dos professores é sensacional, mas tem aquele que pegou varias materias mas nao tem didatica para ensinar. Enfim, agora nao adianta ficar chorando, faltam menos de 2 meses e é necessario manter o foco para em breve obter o tao almejado diploma né :)


Tem novidades, recebi uma bolsa para um curso de um ano, se tudo der certo, conto depois!

Ola Terráqueos! (updated)

Como vocês estão? Estou bem, parei a faculdade momentaneamente. Tive um problema de saúde no semestre passado e perdi muitas aulas, en...

(¯`·. Localizador .·´¯)